Sábado, 13 de Outubro de 2007

Nevoeiro Do Tejo

 

Entra pela barra em mar chão

A deslizar suave o sorrateiro

Envolve silencioso namoradeiro

Num dócil roçar de paixão

 

Arrasta o fresco da maresia

Sente-se o cheiro no ar inalado

Conta-nos histórias em poesia

Deita-se na lezíria cansado

 

Sonha com o seu esplendor

A doce ninfa sua sereia

Que encanta a bater na areia

Vem acordar o seu amor

 

Juntos embarcam na velha falua

Ouve-se o suave navegar

Deixam-nos o feitiço da lua

Que no seu brilho nos vem beijar

 

 

 

Editado por Barão Van Blogh .

 


Publicado por @s às 09:09
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
25 comentários:
De Carol a 17 de Outubro de 2007 às 13:57
Quanta Paixão em suas palavras!!!
Nunca mais apareceu pelo meu cantinho... então vim te espiar novamente.
Beijos e um lindo dia!!!!!!!!!!!


De Olhos de Mel a 18 de Outubro de 2007 às 03:23
Oie Barão, passei pra lhe ver e deixei beijinhos...


De Sei que existes a 20 de Outubro de 2007 às 09:49
É uma linda imagem!
Gosto muito de ler a ua bela poesia!
Beijiocas grandes


De AnaG a 22 de Outubro de 2007 às 19:42
Gosto destas palavras...

Boa semana.
Beijitos


De leonoreta a 8 de Março de 2008 às 10:33
é um poema bonito que foge aos tradicionais poemas de amor descontente.
este fala do tejo com muito talento.
beijinhos


Comentar post

Obrigado por visitarem este humilde albergue ...

Sobre mim

Frescos

Magia ou Fantasia

O Velho Do Realejo

Luzente Brilho Dos Amante...

Imagino

Nevoeiro Do Tejo

Piano Em (Des)Concerto

Vem

Quero(-Te)

Asas De Fogo

Mulher Menina

No sotão

Março 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Março 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Pesquisar neste blog

 

tags

todas as tags

Ilustres convidados

Estou no Blog.com.pt
SAPO Blogs

Subscrever feeds