Sexta-feira, 5 de Outubro de 2007

Piano Em (Des)Concerto

 

Escutem com atenção o ritmo do compasso

Longinqua sonoridade que soa suavemente

Gradual elevação da mente no espaço

Pelos dedos que deslizam nas teclas lentamente

Dedilham frágeis parecem mortos de cansaço

Em tumultuoso esforço se movem aparentemente

Esmorecido de dor ecoa em pesar o sofrimento

Em cada tecla premida o som de um lamento

 

Guardados na gasta pauta os velhos gemidos

Um a um de tristeza no escuro se fazem ouvir

Os dedos arrastam-se em dolorosos ais sumidos

A clave enrolasse sem alma para reagir

Subito silêncio surgem deles constragidos

Atormentados ao universo bradam a pedir

Uni-vos estrelas em ala na negra vastidão

Unam-se em arpões de fogo rasgando a imensidão

 

Fundem-se em erupção no firmamento a ecoar

Os dedos cravados nas teclas com violência

Nas cordas esticadas os martelos a castigar

Som repentino arrancado sem clemência

Movimentos endiabrados no teclado sem parar

Aumentam o compasso com extrema evidência

Ao som ensurdecedor o piano estremece

Estrondo clarão cai o pano e desaparece

 

 

 

Editado por Barão Van Blogh .

 


Publicado por @s às 11:15
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
81 comentários:
De Erika a 5 de Outubro de 2007 às 14:36
De onde vem os acordes lamentos que escuto ao longe?

Beijo. ótimo final de semana


De palavras ao vento a 5 de Outubro de 2007 às 14:42
"Ao om ensurdecedor o piano estremece
Estrondo clarão cai o pano e desaparece!

Bom momento este que passei aqui ao deslizar por cada verso...

Ainda vou sonhando... com o som do piano....

SOBERBO POEMA!

Beijos da

Maria


De vity a 5 de Outubro de 2007 às 15:02
Ola,
Passo apenas para agradecer a tua visita e deixar um beijo carinhoso…
Bom fim de semana…
Beijo doce
Vity


De Menina do Rio a 5 de Outubro de 2007 às 16:08
Eu mergulhei neste doce piano e viajei nas estrelas. ao som de uma doce melodia!

Beijos


De Gená Franco a 5 de Outubro de 2007 às 17:03
Obrigada pelas visitas. O castelo do Barão é mui belo!


De Claudia Perotti a 5 de Outubro de 2007 às 17:19
Entreguei-me aos acordes dessa grande e estrondosa sinfonia.

Belo poema!

Bom final de semana!

Beijinhosssss



De R@Ser a 5 de Outubro de 2007 às 18:14
Obrigada pela gentil visita ao meu blog.
Espero contar com tua presença.
Amigos são sempre bem vindos...vou te linkar desde já.
Bjim


De Andreia do Flautim a 5 de Outubro de 2007 às 18:56
Um poema muito musical! =)


De Tati a 5 de Outubro de 2007 às 19:40
Duas coisas bonitas unidas em uma só: seus textos e o piano.

^^


De Thunderlady a 5 de Outubro de 2007 às 21:20
:)

Gostei especialmente deste, talvez porque a nossa vida seja um palco... e nós um piano.

Jinho


Comentar post

Obrigado por visitarem este humilde albergue ...

Sobre mim

Frescos

Magia ou Fantasia

O Velho Do Realejo

Luzente Brilho Dos Amante...

Imagino

Nevoeiro Do Tejo

Piano Em (Des)Concerto

Vem

Quero(-Te)

Asas De Fogo

Mulher Menina

No sotão

Março 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Março 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Pesquisar neste blog

 

tags

todas as tags

Ilustres convidados

Estou no Blog.com.pt
blogs SAPO

Subscrever feeds